#realthaw2014 com rodas no chão!

Terminou hoje, 14 de fevereiro, o exercício #realthaw2014.

 

Organizado pela Força Aérea, este exercício desenvolveu-se com o objectivo de treinar cenários realistas e complexos, no sentido de se obter um ambiente operacional combinado (multinacional) e conjunto (forças aéreas, marítimas e terrestres) semelhante ao das actuais operações militares e de cooperação internacional.

 

O balanço do maior exercício táctico da Força Aérea é positivo, tendo sido cumpridos todos os objectivos e facultado treino ao nível táctico a todas as forças participantes, em ambiente diurno e nocturno, .

 

O sucesso da edição deste ano é mais uma prova dada de que as forças nacionais e, nomeadamente, a Força Aérea, está pronta para dar resposta à mais pequena solicitação!

 

Os homens e mulheres que serviram Portugal, através do REAL THAW 2014, estão com um profundo sentimento de missão cumprida!

 

 

Segurança e defesa reforçada

Num exercício de grandes dimensões como o #realthaw2014 (RT14) a segurança é uma peça chave para o cumprimento da missão.

 

No RT14, participam cerca de 4000 militares e 44 aeronaves, fazendo com que a prontidão dos meios necessários à segurança e defesa na Unidade, seja reforçada.

 

Para além do emprego dos recursos humanos e cinotécnicos na vertente de segurança activa, também os sistemas passivos de segurança são uma ferramenta essencial.

 

Este ano o RT14 apresenta-se como um desafio, na medida em que exige a segurança reforçada a mais aeronaves, meios e pessoal. As acções da polícia traduzem-se em rondas com maior fluxo no controlo de acessos e policiamento, assim como o processamento da identificação de mais de 500 militares no sistema de controlo de acessos pioneiro na BA5.

 

A Polícia Aérea trabalha ainda em estreita colaboração com as Security Forces da USAFE promovendo rondas conjuntas, comunicações partilhadas, assim como comando e controlo centralizado a partir do Centro Coordenador de Segurança e Defesa da BA5.

 

 

Spotters no #realthaw2014

O dia de hoje foi dedicado a todos aqueles que, connosco, partilham um gosto comum – a aviação militar.

 

Os entusiastas da aviação, profissionais ou amadores, puderam visitar várias áreas da Base Aérea de Monte Real (BA5) assim como as áreas respeitantes ao exercício.

 

Hora de chegada à porta de Armas: 08:30 horas!

 

Era visível o entusiasmo nas pessoas aquando a sua chegada. Muitas foram as perguntas, muitas foram as partilhas e emoções ao reencontrarem velhos amigos e, acima de tudo, um espírito que apenas se encontra nestes eventos.

 

O dia iniciou-se com um briefing de apresentação sobre a BA5 e sobre o exercício, tendo-se logo visitado a Torre de controlo e tirado fotografias da exposição estática na placa.

 

Durante o dia, os Spotters puderam visitar ainda as aeronaves C-130 Hercules e o P3C Cup+, o hangar de manutenção, a secção de motores e a esquadra 301, mas o ponto alto, foram as descolagens e aterragens das várias unidades aéreas que participam no exercício.

 

Um dia memorável que culminou com uma fotografia bem representativa de um dia bem passado.

 

Operações em ambiente de guerra eletrónica

No sétimo dia de exercício, as unidades aéreas realizam missões em ambiente de guerra electrónica.

 

No âmbito do #realthaw2014, é realizado o exercício de guerra electrónica da NATO – RAMSTEIN GUARD – cujo objectivo é treinar e certificar as forças participantes num ambiente operacional de forte interferência de guerra electrónica.

 

A aeronave DA20 da Cobham, Reino Unido, tem a capacidade de interferir no espectro electromagnético amigo, “iludir” radares, deteriorar comunicações, bloquear as ajudas à navegação e reduzir a eficácia dos sistemas de vigilância, comando e controlo, limitando desta forma, a acção e o objectivo das forças participantes.

 

Durante os cinco dias de exercício, serão realizadas sete missões num total de vinte horas de voo.

 

 1  2  3  4  >>