< VOLTAR

Estrutura da Força Aérea

Centro de Formação Militar e Técnica da Força Aérea
Centro de Formação Militar e Técnica da Força Aérea (CFMTFA)

Ota

Missão

Ministrar a formação militar, humanística, técnica e científica do pessoal da Força Aérea, cujo âmbito não seja coberto pelos outros órgãos de ensino da Força Aérea.


Competências

a) Ao CFMTFA compete ministrar cursos de formação militar geral; formação técnica; promoção a sargento dos quadros permanentes; especialização, de qualificação ou de actualização; formação profissional de pessoal civil da Força Aérea; formação em áreas de reconhecido interesse para a Força Aérea ou estabelecidos por acordo do Ministério da Defesa Nacional com entidades nacionais ou estrangeiras.

História

A Base Aérea da Ota foi criada em 31 de dezembro de 1937 e instalada inicialmente em Alverca passando a ter em 1939, a designação de Base Aérea nº 2 (BA2).

Em 14 de abril de 1940 as novas instalações, constituídas junto à povoação da Ota, são inauguradas e aí são ativadas unidades operacionais com aviões "Gloster Gladiator", "Junkers JU-52" e "Junkers JU-86".

Em maio de 1941, as aeronaves "Mohawk"; "Aircobra"; "Wellington"; "Hurricane"; "Spitfire" e "Blenheim" - vieram reforçar os efetivos da Base Aérea nº 2. Parte destes aviões foram cedidos pela Inglaterra de acordo com o Tratado sobre a utilização dos Açores.

Em janeiro de 1953 são aumentados à carga os primeiros aviões a reação da FAP, dois "De Havilland Vampire". Em 15 de maio do mesmo ano, os primeiros 25 aviões "F-84 G Thunderjet" são aumentados à carga e tornam a BA2 a mais importante Base Aérea até ao fim da década.

No ano de 1960 a BA2 sofreu uma transformação radical, deixando de ser uma Base Operacional para ser uma Base de Instrução.

Em novembro de 1976 foi criado o Centro de Instrução nº 2 (CI2), para a instrução elementar de pilotagem (com aviões Chipmunk), especialistas de radar e para a integração das escolas de formação e preparação militar técnica.

Em 1992 a designação de Base Aérea nº2 é alterada para Centro de Formação Militar e Técnica da Força Aérea (CFMTFA), integrando o acervo que constitui o património logístico e administrativo da BA2 e CI2, assumindo todos os deveres e obrigações inerentes aos orgãos desativados.


Brasão

Centro de Formação Militar e Técnica da Força Aérea

Escudo

De prata com um escudete de púrpura carregado de um mocho de ouro em ponta de cruz de Cristo alada de prata, bordadura a azul.

Divisa

Num listel de branco, sotoposto ao escudo, em letras de estilo elzevir, maiúsculas, de negro: «« CUMPRIR ALÉM DO DEVER »».

Coronel Aeronáutico

É de ouro, constituído por um aro liso com virolas nos bordos superior e inferior, encimado por oito pontas, das quais cinco aparentes. A ponta central e as laterais são encimadas por duas asas de águia estendidas. As pontas intermédias são encimadas por cruzes de Cristo.

Simbologia

O Mocho - símbolo de sabedoria, representa a atividade do estudo e da aprendizagem.
O Escudete - de púrpura foi retirado do Brasão de armas da ex-Base Aérea 2, em sua homenagem.
A Cruz de Cristo - é sinal identificativo das aeronaves militares portuguesas e assim ligado à Força Aérea.
A Divisa - « CUMPRIR ALÉM DO DEVER » exprime a decisão de cumprir todas as tarefas que lhe são cometidas.
Coronel Aeronáutico - é sinal distintivo privativo da Força Aérea que com ele caracteriza todas as suas Unidades e Órgãos.
O azul - significa o zelo no ensino e a lealdade e a justiça na avaliação dos conhecimentos adquiridos.
A púrpura - representa a dignidade, temperança e devoção ao ensino.
O ouro - simboliza a firmeza e perseverança.
A prata - significa a humildade com que é executada a missão e a riqueza dos resultados obtidos.


Estandarte da Unidade

Estandarte

Esquartelado de púrpura e azul, bordadura de azul acantonada de púrpura.
Ao centro, brocante sobre o ordenamento geométrico, um listel circular de prata contendo a divisa «CUMPRIR ALÉM DO DEVER», em letras de estilo elzevir, maiúsculas, de negro.
Dentro do círculo púrpura, delimitado pelo listel, contém-se um escudo com o brasão de armas da Unidade.
Em cada canto, bordados a ouro, as iniciais «CFMTFA».
O estandarte está debruado por um cordão de prata e azul e franjado de prata.


Brasão de Armas do Comandante

Centro de Formação Militar e Técnica da Força Aérea

Escudo - de prata com um escudete de púrpura carregado de um mocho de ouro em ponta de cruz de Cristo alada de prata, bordadura a azul.
Divisa - num listel de branco, sotoposto ao escudo, em letras de estilo elzevir, maiúsculas, de negro: «« CUMPRIR ALÉM DO DEVER »».
Elmo - de prata, quatrocentista, com grades e guarnições de ouro, forrado de vermelho e colocado a três quartos para a dextra.
Correia - de sua cor, perfilada e afivelada a ouro.
Paquife e Virol -   de azul, ouro, vermelho e prata
Timbre - o mocho do escudo


Simbologia
O Mocho - símbolo de sabedoria, representa a atividade do estudo e da aprendizagem.
O Escudete - de púrpura foi retirado do Brasão de armas da ex-Base Aérea 2, em sua homenagem.
A Cruz de Cristo - é sinal identificativo das aeronaves militares portuguesas e assim ligado à Força Aérea.
A Divisa - «CUMPRIR ALÉM DO DEVER» exprime a decisão de cumprir todas as tarefas que lhe são cometidas.
O azul - o zelo no ensino e a lealdade e a justiça na avaliação dos conhecimentos adquiridos.
A púrpura - a dignidade, temperança e devoção ao ensino.
O ouro - a firmeza e perseverança.
A prata - a humildade com que é executada a missão e a riqueza dos resultados obtidos. 


Dependência Hierárquica
Comando de Pessoal da Força Aérea
Comando de Pessoal da Força Aérea

Comandante


Centro de Formação Militar e Técnica da Força Aérea
Coronel João Miguel Montes Palma de Figueiredo

Morada e Contactos

Morada

CFMTFA
2580-242 - Ota

GPS
39º 5' 37.7556'' N
-8º 58' 42.1824'' W

Telefone
26 374 01 00

Fax
26 374 02 89

Imagens

< VOLTAR