Força Aérea transportou 72 vítimas do furacão Irma

 

Aterrou, ao início da noite de quinta-feira (14 de setembro), o C-130 da Força Aérea que efetuou o transporte dos portugueses afetados pela passagem do furacão Irma nas Caraíbas.

O C-130, da Esquadra 501 – ‘Bisontes’, chegou ao Aeródromo de Trânsito N.º1 (AT1) às 19h57, trazendo a bordo 72 portugueses que foram retirados da região afetada, bem como uma equipa médica que foi prestar apoio e cuidados médicos.

A aeronave da Esquadra 501 descolara de Portugal no dia 11 de setembro, tendo aguardado na Base Aérea brasileira de Belém do Pará ordem para voar para Guadulupe, onde seriam recolhidos os portugueses afetados pelo furacão.

Na quarta-feira (13 de setembro), a aeronave aterrou na Ilha de Guadalupe pelas 17h20 (hora de Lisboa), para permitir o embarque das vítimas do furacão, de onde descolou às 22h05, para regressar ao Brasil, onde chegou pelas 03h10 do dia 14.

O C-130 deixou o solo brasileiro após 01h25, tendo como destino a Ilha do Sal, em Cabo Verde, onde realizou uma paragem pelas 12h40. Pelas 14h20 voltou aos céus, para realizar a última parte do percurso, até Lisboa.

À chegada, os portugueses foram recebidos pelo Ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, pelo Secretário de Estado da Defesa Nacional, Marcos Perestrello, pelo Chefe do Estado-Maior da Força Aérea, General Manuel Teixeira Rolo, do Chefe do Estado-Maior do Comando Conjunto de Operações Militares, Tenente-General Joaquim Almeida, e do Comandante Aéreo, Tenente-General Joaquim Borrego, entre outras altas entidades militares e civis, bem como pelos seus familiares.

No total, os ‘Bisontes’ realizaram aproximadamente 35 horas nesta missão, que terminou na véspera do 40.º aniversário da Esquadra, que continua a fazer jus ao seu lema: “Onde Necessário, Quando Necessário”.