INÍCIO . ESQUADRAS . Esquadra 552 - "Zangões"

< voltar

Esquadra 552 - "Zangões"
Sudaviation - SE 3160 Alouette III

Página Oficial

http://www.emfa.pt/www/po/esquadra/esq552

Ao efetuarmos um exercício de memória, consegue imaginar-se quão longínquo vai o mês de Abril de 1963, data em que chegaram à Esquadra (Esq.) 94 da Base Aérea nº9 (BA9) - Luanda - Angola, após transporte via aérea de Marselha, os primeiros Alouette III (ALIII) da Força Aérea.

Após montagem, verificações e inspeções efetua-se, a 18 de junho de 1963, o ansiado primeiro voo em ALIII com matrícula portuguesa.

As raras capacidades de manobra que o ALIII demonstrava ser detentor, deixavam no ar a notoriedade e importância que esta fabulosa máquina viria a provar ao longo dos tempos, nas mais variadas situações e cenários.

Além da Esq. 94 foram também equipadas com ALIII outras Esquadras em operações no Ultramar: a 122 Canibais da Base Aérea nº12 (BA12) - Bissau - Guiné, a 503 Índios do Aeródromo Base nº5 (AB5) - Nacala - Moçambique, a 402 Saltimbancos do Aeródromo Base nº4 (AB4) - Henrique de Carvalho - Angola e a 703 Vampiros do Aeródromo Base nº7 (AB7)- Nova Freixo - Moçambique onde rapidamente efectuam um leque de variadíssimas missões demonstrando elevado desempenho e valor até ao ano de 1975.

Em Portugal Continental haviam sido colocados ALIII na Esq. 33 da Base Aérea nº3 (Tancos) e mais tarde também na Esq. 551 da Base Aérea nº6 (Montijo) e na Esq. 111 da Base Aérea nº3 (Tancos).

A 24 de novembro de 1978 a Esq. 33 viu o seu nome alterado para Esq. 552, designação que ainda ostenta. Em 30 de setembro de 1986 recebe os helicópteros da então extinta Esq. 551 e em 1993 absorve a Esq. 111, tornando-se a fiel depositária dos valores e tradições de todas as unidades anteriores que operaram o ALIII na Força Aérea, com a responsabilidade que isso acarreta.

A 16 de novembro de 1993, a Esq. 552 deixa Tancos e o Tejo, rumando à planície de Beja (Base Aérea nº11) onde se mantém até à presente data.

Entre fevereiro de 2000 e julho de 2002 a Esq. 552 foi chamada a constituir um destacamento em Timor-Leste, com quatro helicópteros ALIII, a fim de cumprir uma missão das Nações Unidas. Rapidamente se juntaram esforços e se prepararam militares e máquinas para executar tão nobre missão. Durante a missão foram efectuadas 2700 Horas de voo onde se transportaram mais de 10.000 passageiros e 131 feridos, deixando uma marca de elevado profissionalismo e espírito de missão superiormente reconhecida pelos vários louvores públicos atribuídos.

O ALIII é um helicóptero muito versátil, capaz de cumprir todo o tipo de missões. As provas dadas ao longo dos anos, quer nas antigas províncias ultramarinas, quer aqui no continente, refletem-se particularmente pelo infindável número de vidas salvas assim como pela importantíssima ajuda e colaboração com entidades civis em situações de elevada complexidade.

As características do ALIII associadas à bravura e coragem dos seus tripulantes e pessoal de apoio, demonstrados ao longo dos anos através de um inexcedível patriotismo, coragem, valor, espírito de sacrifício e sentido das mais elevadas virtudes militares, espelhados em serviços prestados de raro exemplo de abnegação, heroísmo e coragem de que resultaram excecional honra e glória para a Pátria, ditaram o agraciamento da Esq. 552 com as seguintes Condecorações e Louvor:

- Medalha de Ouro de Valor Militar, por SExa o Presidente da República Dr. Mário Soares a 5 de Fevereiro de 1992;

- Membro Honorário da Ordem do Infante D. Henrique, por SExa o Presidente da República Dr. Jorge Sampaio a 9 de Junho de 2004;

- Louvor à Esquadra 552, por SExa o Chefe do Estado-Maior da Força Aérea General Luís Araújo a 15 de Novembro de 2010.

Atualmente a Esq. 552 é responsável pela formação de Pilotos de Helicópteros para a Força Aérea e Marinha, garantindo um destacamento permanente no Aeródromo de Manobra nº1 (Ovar) para Busca e Salvamento (SAR) e Evacuações Médicas (MEDEVAC).

Bem revelador de todas as qualidades anteriormente referidas, é o lema pelo qual se continuam a reger todos os que ainda mantêm operacional o Alouette III...

"...Em Perigos e Guerras Esforçados..."

Missão

Executar operações de transporte aéreo, apoio tático e geral e ministrar instrução básica e avançada de helicópteros.

Elementos de Missão

Mobilidade e assalto;

Transporte tático e geral;

Reconhecimento e apoio;

Busca e salvamento e evacuações médicas;

Formação básica de pilotagem em helicópteros;

Formação avançada de pilotagem em helicópteros.

 


Guião de Mérito da esquadra

O guião de mérito é azul com uma águia de ouro; bordadura de ouro carregada de uma folha de palma verde em cada flanco; no chefe da bordadura a designação Esquadra 552, Unidade onde foram praticados os feitos de mérito excepcional, foram distinguidos com uma condecoração de categoria igual ou superior à Medalha de Ouro de Serviços Distintos; no contra-chefe da bordadura a designação 1978 - 1992,  identificativa do período em que os ditos feitos foram praticados. O guião é de tecido de ouro, bordado, quadrado e mede 0,75 m de lado.
Simbologia das peças
A águia simboliza o voo e o poder no cumprimento da missão.
As palmas são ornamentos de mérito.
 
Simbologia das cores e esmaltes
O azul a lealdade e o zelo, perseverança e fidelidade.
O ouro a firmeza e a constância.


APOIO
VERSÃO MÓVEL | COPYRIGHT © 2017 FAP - DCSI. - WEBTEAM | Símbolo de Acessibilidade na Web