Base Aérea Nº 1

Missão

Garantir a prontidão e emprego das Unidades Aéreas atribuídas, a exploração dos serviços de aeródromo e a segurança militar e defesa imediata do Complexo Militar de Sintra.

Competências

a) Garantir a prontidão das unidades aéreas atribuídas;

b) Aprontar os meios aéreos afetos à missão da AFA e do MUSAR;

c) Garantir a exploração dos serviços de aeródromo;

d) Garantir a segurança interna e a defesa imediata das pessoas e meios sediados no Complexo de Sintra.

HISTÓRIA

A Base Aérea Nº 1 (BA1) está localizada na Granja do Marquês, próximo da serra de Sintra.

As origens da Base Aérea Nº 1 remontam a 1914, após promulgação pelo Presidente da República Manuel de Arriaga, a 14 de maio, da lei que cria a Escola Militar de Aviação, com base em estudos efetuados pelo Aero Club de Portugal.

Esta escola, inicialmente construída em 1915 em Vila Nova da Rainha, foi transferida para a Granja do Marquês em 05 de fevereiro de 1920. Posteriormente, em 1928, viu o seu nome alterado para Escola Militar de Aeronáutica, até à sua extinção em outubro de 1939, altura em que passou a designar-se por Base Aérea Nº 1.

Foi, portanto, na Granja do Marquês que durante longos anos se formaram os pilotos e especialistas da Força Aérea, mantendo-se a BA1 vocacionada para a formação de pilotos, através da utilização das aeronaves Chipmunk da Academia da Força Aérea e dos Epsilon TB 30 da Esquadra 101.

Esta esquadra foi criada em 1989, após a extinção da esquadra 102 de Instrução Básica de Pilotagem (T-37), onde se formaram várias gerações de pilotos da Força Aérea e cuja patrulha acrobática "Asas de Portugal" tão condignamente a representou.

Na área da BA1 existem as instalações da Academia da Força Aérea (AFA) e o Museu do Ar.