Base Aérea Nº 1

Missão

Garantir a prontidão e emprego das Unidades Aéreas atribuídas, a exploração dos serviços de aeródromo e a segurança militar e defesa imediata do Complexo Militar de Sintra.

Competências

a) Garantir a prontidão das unidades aéreas atribuídas;

b) Aprontar os meios aéreos afetos à missão da AFA e do MUSAR;

c) Garantir a exploração dos serviços de aeródromo;

d) Garantir a segurança interna e a defesa imediata das pessoas e meios sediados no Complexo de Sintra.

HISTÓRIA

A Base Aérea N.º 1 (BA1) está localizada na Granja do Marquês, próximo da serra de Sintra.

As origens da Base Aérea N.º 1 remontam a 1914, após promulgação pelo Presidente da República Manuel de Arriaga, a 14 de maio, da lei que cria a Escola Aeronáutica Militar, com base em estudos efetuados pelo Aero Club de Portugal.

Esta escola, inicialmente construída em 1915, em Vila Nova da Rainha, foi transferida para a Granja do Marquês, em 05 de fevereiro de 1920, tendo o primeiro voo de instrução sido realizado a 05 de Novembro do mesmo ano. A escola viu o seu nome modificado várias vezes ao longo do tempo, até que em outubro de 1939 passou a designar-se de Base Aérea N.º 1.

Foi, portanto, na Granja do Marquês, que durante longos anos se formaram os pilotos e especialistas da Força Aérea, tendo também sido nesta Unidade que até 2007 foi realizada a missão de fotografia aérea, através da utilização da aeronave Aviocar.

Após a extinção da Esquadra 102 “Panchos”, onde se formaram várias gerações de pilotos da Força Aérea na aeronave T-37 e cuja patrulha acrobática "Asas de Portugal" tão condignamente a representou, foi transferida para a BA1, em 1989, a Esquadra 101 “Roncos”, que passou a operar a aeronave Epsilon TB-30.

Em 1993, devido a reestruturação da Força Aérea, a Esquadra 101 foi transferida para a Base Aérea N.º 11, em Beja, tendo regressado aos céus de Sintra em 2009, onde permanece até aos dias de hoje. 

Na área da BA1 existem as instalações da Academia da Força Aérea (AFA) e do Museu do Ar.