Estrutura da Força Aérea
Campo de Tiro
CT
Campo de Tiro
Samora Correira

Missão

Disponibilizar à Força Aérea, aos outros ramos das Forças Armadas, às forças de segurança e às indústrias de defesa, os espaços e a segurança necessários para a execução das práticas e experiências com armamento de treino ou real.

 

Competências

a) Apoiar o treino operacional do pessoal navegante da Força Aérea em missões de tiro e bombardeamento, bem como o de Forças Aéreas Estrangeiras, em cumprimento com acordos estabelecidos;

b) Apoiar a execução da instrução e o treino operacional das Forças Armadas, Forças Militarizadas e de Forças Segurança, nomeadamente no domínio da execução de fogos e em exercícios tácticos de combate;

c) Apoiar o desmantelamento e a destruição de munições de explosivos militares;

d) Proceder a ensaios de material de guerra a utilizar ou em uso nas Forças Armadas, Forças Militarizadas e de Forças de Segurança;

e) Colaborar com as Indústrias de Defesa e estabelecimentos produtores com interesses afins, através da execução de ensaios e demonstrações.

História

O Campo de Tiro (CT) localiza-se na bacia sedimentar dos rios Tejo e Sado e foi criado por decreto régio a 24 de março de 1904 como polígono de tiro de artilharia. Desde esta data o CT passou por várias dependências, maioritariamente do Exército, mas, a 26 de fevereiro de 1993, de acordo com o DL 51/93, foi integrado na Força Aérea, como unidade territorial, na dependência orgânica do CA. O CT dispunha inicialmente de uma área de cerca de 1680 hectares, aumentados, a partir de 1985, para aproximadamente 7539 hectares. Esta vasta extensão de terreno possui uma larga mancha florestal onde se abriga, em convivência pacífica com os seus ruidosos vizinhos, uma abundante fauna cinegética.

Para o desempenho da sua missão a Unidade dispõe de várias infraestruturas e equipamentos de carácter operacional, em que se salientam:Várias carreiras de tiro de que se destaca a de tiro Ar-Solo, Pórtico metálico, Radar DOPPLER, Pista de aterragem, Equipas de neutralização de engenhos explosivos. A segurança do CT é efetuada por elementos da Polícia Aérea e baseia-se essencialmente em equipas cinófilas.

O CT está localizado em plena charneca ribatejana (charneca do pliocénico) sendo as espécies aborígenes predominantes o sobreiro e o pinheiro manso. Nesta matéria têm-se desenvolvido operações com vista à conservação da floresta autóctone tendo-se procedido à plantação de 100ha de pinheiro manso que constitui a maior plantação deste tipo de arvoredo, nesta região. Outras intervenções estão dirigidas para o encaminhamento do montado de sobro.

Como a construção de pequenas barragens, são algumas das operações inseridas na preservação do ambiente, medidas que seguem a orientação da Força Aérea quanto a esta mancha florestal que constitui com as espécies cinegéticas que aqui habitam um ecossistema equilibrado. Entre as espécies existentes no CT contam-se a perdiz; o cisão; a raposa e o ginete, sendo o coelho a espécie predominante.

O CT, pelas suas características, é o local ideal para as Escolas dos Concelhos limítrofes procederem a visitas de estudo de carácter ambiental, acampamentos de escuteiros, comemorações do Dia da Árvore, num contacto estrito com a Natureza, estando este preparado e vocacionado para as receber.


Brasão

Campo de Tiro

Escudo -

De vermelho, uma granada alada e incendiada de ouro

Divisa - Num listel de branco, sotoposto ao escudo, em letras de estilo elzevir, maiúsculas, de negro: ««O SABER DA EXPERIÊNCIA FEITO»».

Coronel Aeronáutico -

É de ouro, constituído por um aro liso com virolas nos bordos superior e inferior, encimado por oito pontas, das quais cinco aparentes. A ponta central e as laterais são encimadas por duas asas de águia estendidas. As pontas intermédias são encimadas por cruzes de Cristo.

Simbologia

Coronel Aeronáutico - é sinal distintivo privativo da Força Aérea que com ele caracteriza todas As suas Unidades e Órgãos.
O vermelho - simboliza a atividade bélica, da força, da coragem e da lealdade.
O ouro - representa a riqueza e importância da atividade do Campo de Tiro para o aperfeiçoamento das operações militares.


Estandarte da Unidade

Quadrado um metro de lado ¿ gironado de prata e vermelho. No centro, brocante, um listel circular da Unidade carregado com a divisa «O SABER DA EXPERIÊNCIA FEITO». Dentro do círculo, o brasão da Unidade circundado de coroa de louros de verde. Bordadura de vermelho. Nos quatro cantos, quadrado de prata com as iniciais «CTA», a negro.
O estandarte está debruado por um cordão e franjado de ouro e azul.


Brasão de Armas do Comandante

Campo de Tiro

Escudo - de vermelho, uma granada alada e incendiada de ouro.
Divisa - num listel de branco, sotoposto ao escudo, em letras de estilo elzevir, maiúsculas, de negro: «« O SABER DA EXPERIÊNCIA FEITO »».
Elmo - de grades, de prata, tauxiado de ouro, forrado de azul e colocado a três quartos para a dextra.
Correias - de vermelho, afiveladas e perfiladas de ouro.
Paquife - de vermelho, ouro e azul.
Virol - de ouro e vermelho.
Timbre - granada alada e incendiada do escudo.


Simbologia
O vermelho - simboliza a atividade bélica, da força, da coragem e da lealdade.
O ouro - representa a riqueza e importância da atividade do Campo de Tiro para o aperfeiçoamento das operações militares.


Dependência Hierárquica

Comandante do Campo de Tiro

Morada e Contactos

Morada

Campo de Tiro
2890-403 - Samora Correira

GPS
38º 46' 31.8792'' N
-8º 53' 1.2588'' W

Telefone
21 234 89 00


Imagens


Imagens Relacionadas
MDN entrega Prémio Defesa Nacional e Ambiente 2010
MDN entrega Prémio Defesa Nacional e Ambiente 2010
MDN entrega Prémio Defesa Nacional e Ambiente 2010
MDN entrega Prémio Defesa Nacional e Ambiente 2010
Coronel Delfim a receber o prémio do Campo de Tiro
MDN entrega Prémio Defesa Nacional e Ambiente 2010

CONTACTOS
APOIO
VERSÃO MÓVEL | COPYRIGHT © 2014 FAP - DCSI. - WEBTEAM | Símbolo de Acessibilidade na Web