Estrutura da Força Aérea
Base Aérea Nº 1
BA1
Base Aérea Nº 1
Pêro Pinheiro

Missão

Garantir a prontidão e emprego das Unidades Aéreas atribuídas, a exploração dos serviços de aeródromo e a segurança militar e defesa imediata do Complexo Militar de Sintra.

 

Competências

a) Garantir a prontidão das unidades aéreas atribuídas;

b) Aprontar os meios aéreos afetos à missão da AFA e do MUSAR;

c) Garantir a exploração dos serviços de aeródromo;

d) Garantir a segurança interna e a defesa imediata das pessoas e meios sediados no Complexo de Sintra.

História

A Base Aérea Nº 1 (BA1) está localizada na Granja do Marquês, próximo da serra de Sintra.

As origens da Base Aérea Nº 1 remontam a 1914, após promulgação pelo Presidente da República Manuel de Arriaga, a 14 de maio, da lei que cria a Escola Militar de Aviação, com base em estudos efetuados pelo Aero Club de Portugal.

Esta escola, inicialmente construída em 1915 em Vila Nova da Rainha, foi transferida para a Granja do Marquês em 05 de fevereiro de 1920. Posteriormente, em 1928, viu o seu nome alterado para Escola Militar de Aeronáutica, até à sua extinção em outubro de 1939, altura em que passou a designar-se por Base Aérea Nº 1.

Foi, portanto, na Granja do Marquês que durante longos anos se formaram os pilotos e especialistas da Força Aérea, mantendo-se a BA1 vocacionada para a formação de pilotos, através da utilização das aeronaves Chipmunk da Academia da Força Aérea e dos Epsilon TB 30 da Esquadra 101.

Esta esquadra foi criada em 1989, após a extinção da esquadra 102 de Instrução Básica de Pilotagem (T-37), onde se formaram várias gerações de pilotos da Força Aérea e cuja patrulha acrobática "Asas de Portugal" tão condignamente a representou.

Na área da BA1 existem as instalações da Academia da Força Aérea (AFA) e o Museu do Ar.


Brasão

Base Aérea Nº 1

Escudo -

De azul, com um castelo de ouro lavrado do mesmo, aberto e iluminado de negro, em chefe de ouro, a Passarola, de negro.

Divisa - Num listel de branco, sotoposto ao escudo, em letras de estilo elzevir, maiúsculas, de negro: ««SABER PARA BEM SERVIR»».

Coronel Aeronáutico -

É de ouro, constituído por um aro liso com virolas nos bordos superior e inferior, encimado por oito pontas, das quais cinco aparentes. A ponta central e as laterais são encimadas por duas asas de águia estendidas. As pontas intermédias são encimadas por cruzes de Cristo.

Simbologia

O Castelo - é alusão a Sintra lugar onde a Base está situada.
A passarola - representa a atividade de voo e constitui homenagem ao primeiro português que tentou voar e tem sido símbolo tradicional da Unidade.
A Divisa - « SABER PARA BEM SERVIR » exorta os que ali são instruídos ao estudo e à aprendizagem.
Coronel Aeronáutico - é sinal distintivo privativo da Força Aérea que com ele caracteriza todas as suas Unidades e Órgãos.
O ouro - simboliza a constância na atividade de instrução.
O azul - representa o ar e o espaço.


Estandarte da Unidade

Gironado de ouro e negro, com bordadura de azul acantonada de prata. Ao centro, brocante, sobre o gironado um listel circular de prata com a divisa «SABER PARA BEM SERVIR». Dentro do círculo formado pelo listel contém-se o escudo com o brasão de armas da Unidade. Em cada canto, bordadas a negro as iniciais «BA1».

 

O estandarte está debruado por um cordão de ouro e negro e franjado de prata e azul.


Brasão de Armas do Chefe do Estado-Maior da Força Aérea

Base Aérea Nº 1

Escudo - de azul, com um castelo de ouro lavrado do mesmo, aberto e iluminado de negro, em chefe de ouro, a Passarola, de negro.
Divisa - num listel de branco, sotoposto ao escudo, em letras de estilo elzevir, maiúsculas, de negro: «« SABER PARA BEM SERVIR »».
Elmo - quatrocentista de prata, com grades e guarnições de ouro, tauxiado de negro, forrado de vermelho e colocado a três quartos para a dextra.
Elmo - de vermelho, perfilada e afivelada a ouro.
Paquife - de ouro, negro, azul e prata.
Virol - de azul, ouro e negro.
Timbre - o castelo do escudo

Simbologia
O Castelo - é alusão a Sintra lugar onde a Base está situada.
A passarola - representa a actividade de voo e constitui homenagem ao primeiro português que tentou voar e tem sido símbolo tradicional da Unidade.
A Divisa - «SABER PARA BEM SERVIR» exorta os que ali são instruídos ao estudo e à aprendizagem.
O Ouro - simboliza a constância na actividade de instrução.
O azul - representa o ar e o espaço.


Dependência Hierárquica

Comandante da Base Aérea Nº 1

Morada e Contactos

Morada

Granja do Marquês
2715-021 - Pêro Pinheiro

GPS
38º 50' 15.306'' N
-9º 20' 32.7156'' W

Telefone
21 967 89 00

Fax
21 967 89 91



Imagens


APOIO
VERSÃO MÓVEL | COPYRIGHT © 2017 FAP - DCSI. - WEBTEAM | Símbolo de Acessibilidade na Web