Nasceu na freguesia da Senhora de Monserrate, Viana do Castelo, no dia 10 de julho de 1905, filho de Adriano da Costa Macedo e Alice Sanches de Castro Macedo.

Ingressou no Curso de Artilharia de Campanha da Escola Militar no dia 12 de agosto de 1921.

No dia 1 de novembro de 1924 foi promovido a Alferes e no dia 29 de maio de 1925 foi colocado no Grupo de Bombardeamento de Artilharia e Cavalaria. Ainda nesse ano, foi colocado no Regimento de Artilharia n.º 1.

No dia 14 de julho de 1928 foi promovido a Tenente e a 14 de agosto, aos comandos de um bimotor Cauldron G-III, foi brevetado. No dia 24 de novembro foi colocado na Escola Militar de Aviação. Permaneceu a maior parte do tempo nesta Unidade, dando instrução e voando as aeronaves Vickers Valparaíso, Cauldron C-59 e Avro 500.

A 26 de julho de 1937 foi promovido a Capitão e a 26 de fevereiro de 1943 a Major. No dia 19 de abril foi durante dois meses em comissão de serviço para o estrangeiro e quando regressou foi colocado na Base Aérea nº 1, em Sintra, onde desempenhou funções de instrutor-chefe no grupo escolar, até Comandante da Unidade, em 1946, ano em que participou na 1ª Conferência de Aviação Civil. Foi presidente da Assembleia-geral do Aero Club de Portugal.

No dia 17 de maio de 1947 foi promovido a Tenente-Coronel. A seguir ao dia 1 de fevereiro de 1952, data em que foi promovido a Coronel, foi colocado no Subsecretariado de Estado da Aeronáutica. Daqui seguiu para o Comando da Instrução e Treino. No dia 3 de setembro de 1953, foi promovido a Brigadeiro e logo de seguida a General, passando a desempenhar funções na Direcção Geral do Subsecretariado da Aeronáutica. Posteriormente foi colocado no Comando Geral das Forças Aéreas.

A 3 de setembro de 1953 foi promovido a General de quatro estrelas assumindo a Chefia do Estado-Maior das Forças Aéreas. Ao longo da sua carreira foi nomeado para diversas missões de carácter técnico e militar em países como os EUA, Inglaterra, França, Itália, Holanda, Alemanha, Polónia e Espanha, bem como às províncias Ultramarinas Portuguesas de Moçambique e Guiné.

Em fevereiro de 1956, foi nomeado pelo governo para fazer parte da delegação portuguesa às cerimónias da investidura do Presidente da República do Brasil. Passou à situação de reserva, por ter atingido o limite de idade, a 10 de julho de 1967.

No final da sua carreira, contava com mais de quatro mil horas de voo e era detentor de uma extensa lista de condecorações: Grã-Cruz da Ordem Militar de Cristo, Grã-Cruz da Ordem Militar de Avis, Grã-Cruz de Mérito Militar, Ofi cial da Ordem Militar da Torre e Espada, Valor, Lealdade e Mérito, Comendador da Ordem Militar de Cristo e Grande Ofi cial da Ordem Militar de Avis, duas Medalhas de Ouro de Serviços Distintos, duas Medalhas de Prata de Serviços Distintos, Medalha Naval Comemorativa do 5.º Centenário da morte do Infante D. Henrique, Medalhas de Ouro e Prata de Comportamento Exemplar e Grau de Honra da Cruz Vermelha Portuguesa. Entre as condecorações internacionais destacam-se: Grã-Cruz de Mérito Militar com Distintivo Branco e Cruz de 2ª classe de Mérito Aeronáutico pela Espanha, Grande Ofi cial da Ordem da Legião de Honra pela França, Cavaleiro da Ordem da Coroa de Itália, Grã-Cruz da Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul e Grande Ofi cial da Ordem de Mérito Aeronáutico pelo Brasil e Comendador da Ordem de Legião de Mérito pelos Estados Unidos da América.

O General Costa Macedo veio a falecer no dia 30 de janeiro de 1974 na freguesia da Lapa, em Lisboa.