Nasceu na Nazaré, distrito de Leiria, no dia 23 de julho de 1912, filho de Jacinto Bento de Paiva e Guilhermina do Carmo Brilhante Paiva. A 1 de novembro de 1932 foi incorporado no Curso de Infantaria da Escola Militar.

No dia 1 de novembro de 1935 foi promovido a Alferes, tendo sido colocado no Regimento de Infantaria N.º 4. Foi brevetado no dia 12 de setembro de 1935 e no dia 15 de outubro de 1936 foi colocado na Escola Militar de Aeronáutica. No dia 1 de março de 1939 foi colocado na Base Aérea de Sintra e a 1 de dezembro foi promovido a Tenente. A 11 de abril de 1942 voltou a funções do Exército e a 1 de dezembro de 1943 foi promovido a Capitão.

No dia 30 de junho de 1944 foi colocado na Base Aérea N.º 3, em Tancos e a 31 de julho de 1945 voltou à Base Aérea n.º 1. No ano lectivo de 1948-1949 frequentou o Curso de Comando e Estado-Maior, tendo sido promovido a Major no dia 1 de Janeiro de 1953. No dia 31 de julho de 1954 foi colocado na 2.ª Repartição da 1.ª Divisão do Secretariado de Estado da Aeronáutica, onde, a 6 de janeiro de 1955, foi promovido a Tenente-Coronel. No dia 6 de maio de 1958 foi promovido a Coronel, posto que lhe trouxe o Comando da Base Aérea N.º 4. No dia 2 de maio de 1960 foi comandar a Base Aérea N.º 5, em Monte Real. De 2 de novembro de 1960 a 1 de maio de 1961 esteve a frequentar o Curso de Altos Comandos e a 6 de junho de 1961 foi promovido a Brigadeiro. É neste posto que no dia 21 de junho assume funções na 1.ª Região Aérea.

Foi promovido a General no dia 24 de setembro de 1962 e no dia 13 de outubro foi comandar a 2.ª Região Aérea, em Angola.

No dia 24 de setembro de 1965 voltou ao Continente, onde, no dia 1 de outubro assumiu o comando da 1.ª Região Aérea. Após este comando, foi Vice-Chefe do Estado-Maior da Força Aérea.

A 12 de maio de 1967 assumiu, interinamente, a Chefia da Força Aérea. No dia 26 de junho de 1967 foi promovido a General de quatro estrelas e a 1 de julho tornou-se Chefe do Estado-Maior da Força Aérea.

Quando passou à reserva no dia 12 de março de 1971, contava com 1500 horas de voo. Durante a notável carreira militar, são de salientar, os inúmeros louvores e as seguintes condecorações: Oficial da Ordem Militar de Avis, Comendador da Ordem Militar de Avis, Medalha de Ouro de Serviços Distintos com Palma, Medalha de Prata de Serviços Distintos, Medalha de Mérito Militar de 1ª e 2.ª Classes, a Medalha Comemorativa das Campanhas e a Medalha de Ouro de Comportamento Exemplar.

Também foi condecorado pelo Brasil com o título de Comendador da
Ordem de Mérito Aeronáutico e pela Espanha, com a Cruz de 2ª Classe da Ordem de Mérito Aeronáutico com Distintivo Branco.

O General Brilhante Paiva veio a falecer no dia 14 de novembro de 1974.