Nasceu no local de Palmasões, na freguesia de Padronelo, concelho de Amarante, no dia 29 de agosto de 1926, filho de Mário de Miranda e Maria da Glória Cardoso Brochado de Miranda.

Foi incorporado no dia 3 de agosto de 1945, no Curso de Aeronáutica da Escola do Exército. Foi brevetado a 1 de outubro de 1947.

No dia 1 de novembro de 1948 foi promovido a Alferes, data em que foi colocado no Grupo de Instrução de Aviação de Caça. A 1 de dezembro de 1951 foi promovido a Tenente e a 20 de dezembro foi colocado na Base Aérea N.º 2, na Ota, como Comandante de Esquadrilha e de Formação.

No dia 21 de fevereiro de 1953 concluiu, na Alemanha, o Jet Transition Instructor Course e a 2 de dezembro desse ano foi promovido a Capitão. A 30 de setembro de 1955 concluiu, nos Estados Unidos da América, o Fighter Gunner Instructors Course e a 27 de novembro assumiu as funções de Oficial de Operações da Esquadra 21.

No dia 31 de dezembro de 1955 passou a comandar a Esquadra, função que a 11 de março de 1957 passou a acumular com a de Comandante do Grupo Aéreo. De 12 de janeiro a 17 de maio de 1958 esteve no Curso de Comando e Estado-Maior, a 16 de outubro foi promovido a Major e a 31 de dezembro assumiu as funções de Comandante da Esquadra de Pessoal.

No dia 1 de abril de 1959 foi transferido para a Base Aérea N.º 5, em Monte Real, onde, na preparação da abertura da Unidade e na ausência do Comandante, exerceu as funções de Comandante interino. No dia 22 de outubro assumiu funções de 2.º Comandante da Unidade, cargo que acumulou com o de Comandante de Esquadra 52, a partir de 16 de dezembro.

No dia 1 de setembro de 1960 foi colocado na Zona Aérea dos Açores, onde, no dia 22 de setembro assumiu o cargo de Chefe do Estado-Maior do Comando da Zona. A 21 de março de 1961 foi promovido a Tenente-Coronel e no dia 30 de dezembro desse ano foi transferido para o Aeródromo Base N.º 5, na Beira, em Moçambique, onde, no dia 12 de abril de 1962 assumiu as funções de Comandante.

Regressou à Base Aérea N.º 2 no dia 27 de junho de 1964. A 9 de abril de 1966 concluiu o Curso de Segurança de Voo e no dia 4 de novembro foi transferido para a Base Aérea N.º 9, em Luanda, como Comandante do Grupo Operacional. De volta ao Continente no dia 21 de novembro de 1968, foi colocado no Estado-Maior da Força Aérea. No dia 30 de janeiro de 1969 voltou à Base Aérea Nº 2, para, a partir do dia 22 de março passar a comandar a Unidade. E aqui, no dia 14 de agosto do mesmo ano foi promovido a Coronel.

A 20 de setembro de 1972 regressou ao Estado-Maior da Força Aérea. Entre 15 de novembro de 1972 e 31 de maio de 1973 esteve a frequentar o Curso de Altos Comandos e, entre 1 de junho e 10 de agosto de 1973 o Curso da Defesa Nacional.

No dia 20 de setembro de 1973 foi transferido para o Comando da Zona Aérea dos Açores, onde foi desempenhar as funções de Comandante da Zona Aérea. No dia 10 de maio de 1974 assumiu as funções de Director da Direcção dos Serviços de Instrução e a 12 de setembro foi promovido a Brigadeiro.

No dia 25 de janeiro de 1975 foi nomeado Subchefe de Estado-Maior da Força Aérea e a 30 de abril do mesmo ano foi promovido a General. É neste posto que a 1 de junho de 1976 foi nomeado Director da Escola Superior da Força Aérea e no dia 4 de outubro de 1977 Vice-Chefe do Estado-Maior da Força Aérea.

Entre 2 de março e 9 de abril de 1984 foi Chefe de Estado-Maior da Força Aérea, interino. Assumiu o cargo de Chefe de Estado-Maior da Força Aérea no dia 10 de abril. Passou à situação de reserva no dia 29 de agosto de 1988 e à situação de reforma a 29 de agosto de 1993.

Ao longo da sua carreira, foi agraciado com diversos louvores e as seguintes condecorações: Grã-Cruz da Ordem Militar de Avis, Medalha de Ouro dos Serviços Distintos, Medalha de Prata de Serviços Distintos com Palma, as Medalhas de Mérito Militar de 1ª e 3.ª Classes, a Medalha de Mérito Aeronáutico de 1ª Classe, a Medalha Naval Comemorativa do 5.º Centésimo Aniversário do Infante D. Henrique, Medalha Comemorativa das expedições das Forças Armadas a Moçambique e duas Medalhas Comemorativas das Campanhas. Foi agraciado pela Alemanha com a Medalha de Grande-Ofi cialato da Ordem de Mérito, pelo Brasil com a Grã-Cruz da Ordem do Rio Branco, pela Espanha com a Grã-Cruz da Ordem de Mérito Aeronáutico com Distintivo Branco e a Ordem de Mérito Aeronáutico com Distintivo Branco, pela França com Grande-Oficial da Ordem Nacional de Mérito e Grande-Oficial da Ordem de Mérito do CISM e pela Venezuela, com a Ordem Francisco de Miranda – 1ª Classe.