O Coronel Abel Duarte de Oliveira, nasceu na freguesia de Magueija, em Lamego, no dia 09 de setembro de 1963.

Ingressou na Força Aérea (FA) no dia 01 de junho de 1983, para frequentar o Curso de Oficiais Milicianos na especialidade de Técnicos de Manutenção de Armamento e Equipamento.

Ingressou no Quadro Permanente em 1988 depois de frequentar o Curso de Formação de Oficiais 86/88

Em julho de 1988 foi colocado na Base Aérea N.º 1. Aqui foi Oficial de Manutenção de 1º e 2º escalões das aeronaves T-37C, C-212 Aviocar, Cessna FTB337 e Epsilon TB30. Nesta Unidade acumulou ainda as funções de Oficial de Segurança Terra, tendo ainda frequentado os Cursos de Segurança de Voo e de Segurança em Terra. 

Em 1992 frequentou o Curso Básico de Comando no Instituto de Altos Estudos da Força Aérea.

Entre 1994 e 1998 esteve colocado Centro de Formação Militar e Técnica da Força Aérea onde foi responsável pelos cursos de Armamento e Equipamento. 

Foi diretor e docente da Escola de Formação de Instrutores nos anos de 1997 e 1998. Neste período liderou o processo de certificação do então Curso de Formação de Instrutores que, depois de reestruturado, passou a designar-se Curso de Formação Pedagógica de Formadores. Em consequência a escola adotou o nome Escola de Formação Pedagógica de Formadores, título que se mantém.

Concluiu, em dezembro de 1994 a Licenciatura em Ciências de Engenharia Química.

Em 1995, concluiu com Distinção, na Base Aérea de Sheppard, nos Estados Unidos o Aircraft Maintenance Officers Course.

Entre 1997 e 1998 foi o representante de Portugal no NATO TRAINING GROUP / WORKING GROUP for Individual Training and Education Development. 

De outubro de 1998 a outubro de 2002 foi colocado na Repartição de Armamento do CLAFA onde foi responsável pela gestão técnica de inúmeros programas e projetos associados ao sistema de armamento do P-3, sistemas de oxigénio quer dos meios aéreos quer das instalações fixas e aos conjuntos mecânicos que têm por base ativações pirotécnicas.

No domínio da Proteção Ambiental, fez parte do Grupo de Trabalho que formulou, em 2002, a primeira política ambiental da FA, e que elaborou os manuais do sistema de gestão ambiental assentes na Norma ISO14001.

Foi docente na Academia da Força Aérea / Escola Superior de Tecnologias Militares e Aeronáuticas, nos letivos de 1999/2000 e 2000/2001, onde lecionou a Unidade Curricular de Explosivos.

No ano letivo 2002/2003, frequentou o Curso Geral de Guerra Aérea (CGGA) no Instituto de Altos Estudos da Força Aérea.

Entre 2003 e 2007 esteve colocado na Direção de Instrução (DINST) onde integrou o projeto para o desenvolvimento do Sistema Integrado de Ensino e Formação (SIEF) para a Força Aérea. Paralelamente desenhou e desenvolveu formação certificada para condutores de mercadorias perigosas e conselheiros de segurança, bem com o primeiro plano de formação ambiental da Força Aérea destinado a integrar a formação dos militares ao longo da carreira.

Deu ainda início ao processo de Certificação da Formação de Mecânicos integrando os requisitos Part 66 da EASA nos programas curriculares.

De maio a dezembro de 2007 esteve colocado no Campo de Tiro de Alcochete onde desempenhou as funções de Chefe do Gabinete de Prevenção de Acidentes e de Oficial da Qualidade e Ambiente. Neste período enquanto representante da Força Aérea para as questões ambientais, apoiou diretamente a equipa do Laboratório Nacional de Engenharia Civil, I.P. no âmbito do estudo de análise técnica comparada das alternativas de localização do Novo Aeroporto de Lisboa, na zona da Ota e na Zona do Campo de Tiro de Alcochete.

No período de 2008 a 2012 desempenhou em Comissão de Serviço na então Direção-Geral de Armamento e Equipamentos de Defesa (DGAED) do MDN, o cargo de Chefe da Divisão de Controlo de Importações e Exportações, mais tarde designada Divisão de Controlo de Bens e Tecnologias Militares.

Integrou, em maio de 2008, a delegação nacional à Conferência Diplomática de Dublin, que adotou o texto final da Convenção sobre as Munições de Dispersão (Cluster Munitions). 

Em sede das Nações Unidas, participou, entre 2009 a 2013, no processo de negociação do Tratado de Comércio de Armas (convencionais). 

Entre 2012 e 2014, esteve colocado na Divisão de Recursos do EMFA tendo sido responsável pelos estudos de adequação da Força Aérea, quer ao Regulamento REACH com especial enfoque para as substâncias químicas usadas nos processos de manutenção de aeronaves, quer ao sistema que regula o Comércio Europeu de Licenças de Emissão (CELE) aplicadas aos gases com efeito de estufa.

No âmbito da Cooperação Técnico-Militar, foi, no período de abril de 2014 a dezembro de 2016, assessor em Angola, junto do Instituto da Força Aérea Nacional (ISFAN) e da Academia da Força Aérea Nacional (AFAN) tendo integrado a equipa que desenhou e desenvolveu os processos académicos bem como os planos curriculares dos cursos de licenciatura nas especialidades de Piloto-Aviador, Comando Tático e Administração Aeronáutica.

Foi docente de Física I na AFAN e de Métodos Estatísticos e Investigação Operacional no ISFAN.

De janeiro de 2017 até à presente data esteve colocado na Divisão de Operações do EMFA inicialmente como Adjunto para Empenhamento Operacional e desde outubro de 2018, como Chefe da Repartição de Operações.

Da sua folha de serviços constam várias condecorações e louvores.

O Coronel Abel de Oliveira é pai de três filhos e é casado.