Natural de Manteigas, o Coronel Piloto-Aviador Fernando Leitão nasceu a 14 de janeiro de 1969.

Ingressado na Força Aérea em 1988, foi admitido na Academia da Força Aérea em 1989, onde concluiu o curso de Pilotagem em 1994.
Colocado na Esquadra 552, na Base Aérea N.º 11 (BA11), em Beja, tornou-se Piloto Operacional e, posteriormente, Piloto Instrutor em Alouette III, tendo tido a oportunidade de executar um vasto leque de missões, da busca e salvamento e das evacuações médicas às operações aeroterrestres, ao apoio ao combate a incêndios e à instrução de pilotagem a militares dos três ramos das Forças Armadas.

Durante o percurso como Piloto Operacional, efetuou dois destacamentos na força de manutenção de paz das Nações Unidas em Timor-leste, entre 2000 e 2002. Nestes destacamentos assumiu ainda as funções de Oficial de Operações do Destacamento da Força Aérea em Díli, num ambiente operacional conjunto e combinado.

Em 2005 integrou a reativação da patrulha acrobática Rotores de Portugal na Esquadra 552, voando durante quatro anos, inicialmente como asa e nos dois últimos como comandante da patrulha. Ainda na BA11 comandou a Esquadra 552 entre 2006 e 2008.

Foi posteriormente nomeado Diretor Técnico do Projeto de Cooperação Técnico Militar com a Força Aérea Nacional de Angola, na Escola Militar de Formação Aeronáutica do Lobito, acumulando essa função com a de Piloto Instrutor em Alouette III.

Em 2009, no regresso a Portugal, chefiou o Centro de Atividades Aéreas da Academia da Força Aérea, lecionando e ministrando instrução de Pilotagem no avião Chipmunk, funções que acumulou com a chefia do Gabinete de Prevenção de Acidentes daquela Unidade.

Entre 2010 e 2011 concluiu o Curso de Estado-Maior e o Mestrado em Arte e Ciência Operacional Militar, na Air University – Centro de Desenvolvimento Intelectual e de Liderança da Força Aérea dos Estados Unidos, em Montgomery, Alabama – curso com grande foco nos estudos da guerra e no emprego do poder aeroespacial.

Seguiu-se um período de cinco anos como docente nas Áreas de Ensino Específico da Força Aérea e de Operações e investigador no Instituto Universitário Militar. Neste âmbito, integrou a coordenação e foi coautor do livro “A transformação do Poder Aeroespacial - Tendências Internacionais e as Operações Expedicionárias da Força Aérea”.

Em 2016 iniciou uma missão de três anos e meio como Conselheiro Militar para os diferentes aspetos da Política Comum de Segurança e Defesa da União Europeia, na Representação Permanente de Portugal junto daquela organização, em Bruxelas.
Nesse período participou, entre outras, nas negociações do regulamento do Fundo Europeu de Defesa, no comité especial do instrumento de financiamento comum das missões militares e operações da União Europeia e na sua transformação no atual Mecanismo Europeu de Apoio à Paz, e ainda em vários conselhos de administração como o do Centro de Satélites da União Europeia, do Colégio Europeu de Segurança e Defesa e do Instituto Europeu de Estudos de Segurança.

Temporariamente, assegurou ainda a representação nacional no Comité dos Assuntos Civis da União Europeia, que aborda assuntos relacionados com a reforma dos setores da segurança e da justiça dos países onde decorrem as missões civis da União.

Desde junho de 2020 até ao presente, chefiou a Divisão de Planeamento do Estado-Maior da Força Aérea, que acompanha o Ciclo de Planeamento de Defesa Militar, o planeamento e execução da Lei de Programação Militar e o Ciclo Anual de Planeamento e Orçamento da Força Aérea.

Ao longo da sua carreira, o Coronel Fernando Leitão completou mais de 4.000 horas de voo.
Na sua folha de serviço constam diversas condecorações e louvores.
Tem dois filhos, o Pedro e o Diogo.