Esquadra 502 celebra 67.º Aniversário

A Esquadra 502 – “Elefantes” foi criada no dia 24 de janeiro de 1955, celebrando hoje o 67.º Aniversário.

A origem da esquadra remonta ao ano de 1937, altura em que foi capacitada com os aviões JUNKER JU52 que realizavam um vasto leque de missões, desde o transporte aéreo-geral ao bombardeamento noturno. 

Em 1974, com a chegada dos C-212 Aviocar em substituição dos Nord “Noratlas”, a esquadra até à data designada por Esquadra 32 passa a ter a denominação oficial de Esquadra 502 – “Elefantes”, continuando a operar desde a Base Aérea N.º 3, em Tancos.

Ao longo da sua história, esteve destacada em várias missões de apoio à população local, como é o caso do destacamento aéreo de São Tomé e Príncipe, em 1988, que operou durante 20 anos, e do destacamento permanente na ilha de Porto Santo, que teve início com fim da guerra em África e permanece ativo nos dias de hoje. A esquadra esteve também sediada na Base Aérea N.º 1, em Sintra, e em 2007, iniciou o destacamento aéreo nos Açores.

Em 2009, dá-se a transferência da Esquadra 502 para a Base Aérea N.º 6, no Montijo, onde permanece nos dias de hoje, e onde em fevereiro, desse mesmo ano, aterrou o primeiro C-295M

Os “Elefantes” têm como principal missão executar operações de transporte aéreo geral, busca e salvamento, vigilância marítima, reconhecimento e fotografia aérea e instrução de Navegadores. Realiza ainda, missões de transporte aéreo-tático e de apoio logístico, infiltração de tropas pára-quedistas, lançamento de carga e transportes médicos com maior incidência nos arquipélagos da Madeira e dos Açores.

Atualmente, a Esquadra 502 é composta por 118 militares e uma civil. O Comando está entregue ao Major, Piloto-Aviador, Carlos Fialho, que conta com mais de 2700 horas de voo e assume funções de Piloto Comandante dos “Elefantes”, desde maio de 2014. 

O C-295M é uma aeronave de construção metálica, de asa alta, com uma velocidade máxima de 470 km/h, capaz de transportar 70 passageiros e com uma autonomia de 10 horas.