Comando da Zona Aérea dos Açores

Missão

Assegurar a prontidão dos sistemas de armas quando atribuídos e atividade aérea, na área da sua responsabilidade.

 

Competências 

a) Planear dirigir e controlar a atividade aérea, na área da sua responsabilidade, para execução dos planos e diretivas superiormente aprovadas;

b) Assegurar, nos termos estabelecidos nos respetivos acordos internacionais, as relações com as forças estrangeiras estacionadas nas unidades de base na sua dependência hierárquica, sem prejuízo das competências próprias dos comandantes destas;

c) Assegurar o respeito pela soberania nacional nos termos consagrados nos acordos internacionais estabelecidos.

d) Elaborar estudos e planear a atividade operacional da Força Aérea na Zona Aérea dos Açores (ZAA);

e) Planear, dirigir e controlar a atividade aérea, da Força Aérea, na ZAA;

f) Controlar e coordenar as ações de busca e salvamento nas áreas de responsabilidade atribuídas.

HISTÓRIA

Em 1956, é criada a Zona Aérea dos Açores, na dependência da da 1.ª Região Aérea, com sede em Lisboa, ficando a Base Aérea n.º 4 sobre a sua dependência direta, em tempos de paz, conforme o Dec-Lei 40949, de 20 de dezembro de 1956.

Em 1978, por força da organização territorial, cancelada na prática pelo final da guerra em África, pela necessidade de ajustar a organização da Força Aérea nos Açores e da necessidade de reorganização para um melhor aproveitamento dos recursos disponíveis é extinta a Zona Aérea dos Açores e criada, por sua vez, o Comando Aéreo dos Açores, cujo o comandante acumula as funções de Comandante da Base Aérea n.º 4, conforme o Dec-Lei 212/78, de 28 julho.

Em 1993 o dispositivo da Força Aérea nos Açores sofre grandes alterações. Assim, pelo Dec-Lei n.º 51/93, de 26 de fevereiro, é extinto o Comando Aéreo dos Açores, ficando a Força Aérea a dispor no Arquipélago dos Açores unicamente de uma Unidade Base: a Base Aérea N.º 4.

Passados dois anos, em 1995, através do dec-Lei n.º 148/95, de 24 de junho, é alterada a estrutura orgânica da Força Aérea, sendo criado o Comando de Zona Aérea dos Açores, que transitoriamente adota e funciona com a estrutura orgânica do extinto Comando Aéreo dos Açores.

DEPENDENTES HIERÁRQUICOS