O Coronel Fernando Manuel de Pinho Damásio nasceu em Ovar, em setembro de 1964. Repartiu a sua infância e adolescência entre Angola - Malanje, onde viveu até aos 11 anos, e Tomar, onde completou os estudos secundários na Escola Secundária Jácome Ratton.

Ingressou na Força Aérea em 05 de janeiro de 1983, tendo efetuado a recruta e jurado Bandeira na extinta Base Aérea N.º 2 (BA2). Também na OTA frequentou o curso de Oficiais Milicianos da especialidade de Técnico de Manutenção de Material Aéreo.

Em novembro de 1983, foi colocado na extinta Base Aérea N.º 3 (BA3), em Tancos, onde no Grupo de Material desempenhou as funções de Adjunto do Comandante da Esquadra de Manutenção de Aeronaves e de Comandante da Esquadrilha de Manutenção de 2.ª Escalão das frotas AL III e AVIOCAR C-212.

De setembro de 1986 a maio de 1988, voltou à BA2 para frequentar o Curso de Formação de Oficiais do Quadro Permanente.

Concluído o Curso, regressou à BA3 onde permaneceu até junho de 1991, tendo desempenhado diversas funções no âmbito da sua especialidade técnica. No Gabinete da Qualidade chefiou as secções de Análise de Deficiências e Avarias e de Publicações Técnicas, tendo posteriormente chefiado a Secção de Análise de Produção e Comandado as Esquadrilhas de Manutenção Oficinal e de Manutenção de 1.º Escalão.

Entre novembro de 1990 e fevereiro de 1991, frequentou o Curso Básico de Comando, no Instituto de Altos Estudos da Força Aérea (IAEFA) na Granja do Marquês. 
Ainda Tenente, em junho de 1991, é colocado por oferecimento na Base Aérea Nº 5 (BA5), em Monte Real, onde permanece ininterruptamente até ascender ao posto de Major. Até fevereiro de 1992 desempenha as funções de Adjunto do Comandante da Esquadra de Material, após o que passa a desempenhar as funções de Comandante de Esquadrilha de Manutenção de Equipamento Auxiliar, até novembro de 1992.

Em dezembro de 1992, iniciou o comando da Esquadrilha de Manutenção Oficinal. Contribuiu para a evolução da Secção de Motores para Esquadrilha de Manutenção de Motores, tendo sido seu Comandante desde o seu início até julho de 1997. Nesse período, de setembro de 1993 a maio de 1994, foi chamado a comandar a Esquadra de Manutenção de Aeronaves, interinamente e em acumulação de funções, por via da saída de pessoal da Unidade para formação nos EUA no âmbito do Programa “Peace Atlantis I”.

Nomeado para a frequência do Curso Geral de Guerra Aérea vai para o IAEFA, entre setembro de 1997 e abril de 1998. Concluído o curso regressa à BA5 onde vai desempenhar as funções de Adjunto do Comandante do Grupo Operacional para o Material, onde permaneceu até março de 1999.

Nomeado para chefiar a equipa de técnicos da BA5 que no Airspace Maintenance and Regeneration Center (AMARC) supervisionou o processo de desmontagem e envio para Portugal das 25 aeronaves e motores adquiridos, no âmbito do “Peace Atlantis II”, esteve de março a setembro de 1999 em Tucson – Arizona, EUA. Foi durante esse período de tempo que ocorreu a sua promoção ao posto de Major.

Regressado à BA5 foi-lhe atribuída a responsabilidade de liderar, na Unidade, o processo de transformação dos 25 motores F100-PW-200 adquiridos em motores -220E, idênticos aos que equipavam a frota F-16. Nesse contexto, foi aprovada e implementada a Estrutura de Transformação de Motores que viria a comandar desde o seu início, em dezembro de 1999, até maio de 2004. Durante esse período, entre agosto de 2000 e setembro de 2002, foi chamado a desempenhar as funções de Chefe do Gabinete da Qualidade, em acumulação de funções.

Em maio de 2004, é colocado na Inspeção-Geral da Força Aérea (IGFA), onde desempenhou as funções de Chefe da Área de Segurança em Terra do Gabinete de Prevenção de Acidentes (GPA), cumulativamente com as de Coordenador da Comissão Central de Investigação (COCINV) de ocorrências de Segurança em Terra. Desempenhou estas funções até julho de 2007, tendo participado em mais de duas dezenas de Inspeções e Visitas de Acompanhamento a Unidades e Órgãos da FA.

Ainda, em julho de 2007, é de novo colocado na BA5, desta vez para Comandar a Esquadra de Material (EMAT), a única Esquadra de Manutenção que resultou da extinção dos Grupos de Material. Em janeiro de 2008 é promovido ao atual posto e cessa estas funções em setembro desse ano.

Em setembro de 2008, é colocado no Estado-Maior General das Forças Armadas (EMGFA) a desempenhar funções na Unidade Nacional de Verificações (UNAVE), cuja missão era assegurar o cumprimento dos Acordos Internacionais de Controlo de Armamento. Inicialmente como Adjunto do Chefe da UNAVE e posteriormente como Oficial de Operações, participou em cerca de vinte Inspeções e Avaliações na Europa, no âmbito dos Tratados “Vienna Document e Conventional Forces Europe (CFE)”.
Em dezembro de 2012 regressa ao Ramo, tendo sido colocado na Direção de Manutenção de Sistemas de Armas (DMSA) a Chefiar o Gabinete da Qualidade e Engenharia até janeiro de 2012.

Tendo-se voluntariado para realizar uma missão no âmbito da “International Security Assistance Force (ISAF)”, em 2011 foi nomeado para Chefiar a equipa da FA que integrou o 2.º Contingente Nacional no Afeganistão. A equipa da FA foi enviada como reforço da NATO para guarnecer a 738ª Esquadra Expedicionária da USAF, na sua missão de mentoria para a reabilitação da Força Aérea Afegã. A missão teve a duração de seis meses e a equipa esteve baseada em Kabul International Airport (KAIA).

Em janeiro de 2012, voltou a ser colocado na IGFA e a repetir as funções anteriormente desempenhadas de Chefe da Área de Segurança em Terra do GPA.

Em junho de 2013, volta a ser colocado na BA5 onde, desde 14 de junho, desempenhou as funções de Comandante do Grupo de Apoio até janeiro de 2016.

Em janeiro de 2016, foi colocado no Ministério da Defesa Nacional, a prestar serviço na Direção-Geral de Política de Defesa Nacional onde desempenhou as funções de Gestor do Programa-Quadro da Guiné e de São Tomé no âmbito da Cooperação Técnico-Militar (CTM), onde permaneceu até dezembro de 2016.

Em dezembro de 2016, foi nomeado para as funções de Diretor Técnico do Projeto 3, em Luanda, no âmbito da CTM Luso-Angolana onde permaneceu até novembro de 2018.
Por ter sido nomeado para o cargo, assumiu as funções de Comandante do Aerodromo de Trânsito N.º 1 no dia 27 de novembro de 2018.

Na sua folha de serviços constam diversos Louvores, individuais e coletivos, e várias condecorações de que se destacam as Medalhas de Prata de Serviços Distintos, de Mérito Militar de 2ª e de 3ª Classe, de Mérito Aeronáutico de 2ª Classe, de Cruz de São Jorge de 2ª Classe, Comemorativas de Comissão de Serviços Especiais (AFG e EUA) e NATO-NON ARTICLE 5.

O Coronel Fernando Damásio reside em Tomar é casado com Rosa C. J. Moura Damásio e pai de Gisela Sabina e de Mauro Rogério.