TGEN Miranda é o novo Comandante Operacional dos Açores

Decorreu nas instalações do Comando Operacional dos Açores (COA) em Ponta Delgada, Ilha de São Miguel, Açores, a 20 de janeiro de 2017, a cerimónia da rendição do Comandante Operacional dos Açores.
 
O Tenente-General Mourato Caldeira, que ocupava o cargo desde outubro de 2014, foi rendido na função pelo Tenente-General PILAV Amândio Miranda.
 
A cerimónia foi presidida pelo Representante da República para a Região Autónoma dos Açores, Embaixador Pedro Catarino, e contou com a presença do Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas, General Pina Monteiro, e de outras altas entidades civis e militares, de onde se destaca o Chefe do Estado-Maior da Força Aérea (CEMFA) - General Manuel Teixeira Rolo.
 
O Comando Operacional dos Açores faz parte do Estado maior general das Forças Armadas e o seu Comandante está sob dependência direta do Chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas.

O Tenente-General Piloto-Aviador Amândio Manuel Fernandes Miranda, nasceu em março de 1957, em Rio Frio, Bragança.

Ingressou na Força Aérea em novembro de 1977, tendo sido brevetado em outubro de 1982, após concluir o Curso de Ciências Militares Aeronáuticas, na Academia da Força Aérea e o Curso Básico de Pilotagem, em T-37, na Base Aérea nº 1, em Sintra.

Em janeiro de 1984, após terminar o Curso Complementar de Pilotagem em Aviões de Caça/Reacção em T-33, na Base Aérea nº 5, em Monte Real, foi colocado na Base Aérea nº 2, na Ota, onde desempenhou funções, desde Piloto Instrutor a Comandante da Esquadra 101, voando a aeronave Chipmunk.

Desempenhou, ainda, nesta Unidade Base, as funções de Chefe do Gabinete de Prevenção de Acidentes, após frequentar, durante o primeiro semestre de 1986, o Curso “Flight Safety Management”, nos Estados Unidos.
Em 1988/1989, frequentou o Curso Complementar de Pilotagem em Aviões Multimotores, em C-212, na Base Aérea nº 3, em Tancos.

Após a frequência do Curso Geral de Guerra Aérea em 1989/1990, foi colocado na Base Aérea nº 4, nas Lajes, onde desempenhou as funções de Chefe do Centro de Operações do Grupo Operacional 41, Comandante da Esquadra 503 e Comandante da Esquadra 711, qualificado na aeronave C-212 Aviocar.

De setembro de 1995 a fevereiro de 1996 prestou serviço no Conselho Nacional de Planeamento Civil de Emergência.

Exerceu as funções de Chefe do Gabinete do Vice-Chefe do Estado-Maior da Força Aérea de fevereiro de 1996 a julho de 1997 e, de julho de 1997 a maio de 1998, de Comandante do Grupo Operacional 12, na Base Aérea nº 1, em Sintra.

De agosto de 1998 a setembro de 2001, desempenhou o cargo de Adido de Defesa junto da Embaixada de Portugal em Roma e em Ankara.

De outubro de 2001 a abril de 2002 exerceu as funções de Assessor do Ministro da Defesa Nacional, para os assuntos da Força Aérea.

Desempenhou funções na Direção de Instrução da Força Aérea, inicialmente como Sub-Diretor, de agosto de 2002 a fevereiro de 2005 e, como Diretor, de março a agosto de 2005. De outubro de 2005 a outubro de 2006, as funções de Adjunto do Chefe do Gabinete do Chefe do Estado-Maior da Força Aérea.

Comandou a Base Aérea nº 1, em Sintra, de outubro de 2006 a outubro de 2008.

Após a frequência do Curso de Promoção a Oficial General em 2008/2009, foi promovido, ao posto de Major General, em 19 de agosto de 2009.

De setembro de 2009 a dezembro de 2011, desempenhou as funções de Chefe do Gabinete do Chefe do Estado-Maior da Força Aérea.

Durante o ano de 2012 exerceu as funções de 2º Comandante do “Combined Air Operations Center 8” (CAOC-8), em Torrejon, Madrid.

De janeiro de 2013 a agosto de 2014, desempenhou as funções de 2º Comandante do Comando Aéreo.

Desempenhou, de setembro de 2014 a julho de 2015, as funções de Sub-Chefe do Estado-Maior do Comando Conjunto para as Operações Militares, no Estado-Maior General das Forças Armadas.

Promovido ao posto de Tenente-General em 02 de julho de 2015, desempenhou funções de Comandante do Pessoal da Força Aérea, de 15 de julho de 2015 a 2o de janeiro de 2017, data em que assumiu as funções de Comandante Operacional dos Açores.

Na sua folha de serviço, constam vários louvores e condecorações, das quais se destacam a Medalha de Grande Oficial da Ordem Militar de Avis, três Medalhas de Prata de Serviços Distintos, as Medalhas de Mérito Militar 1ª e 2ª Classe, a Medalha Cruz de S. Jorge 1ª Classe, a Medalha de Mérito Aeronáutico 1ª Classe e as Medalhas de Ouro e Prata de Comportamento Exemplar.

O Tenente-General Amândio Miranda é casado e tem uma filha e um filho.