Dia do Aeródromo de Manobra N.º 1

Celebra-se hoje o 56.º aniversário do Aeródromo Militar N.º 1 (AM1), localizado em Maceda - Ovar, a cerca de 30 Km a sul da cidade do Porto.

A edificação, como Base Aérea da NATO, iniciou-se em 1957, ficando concluída em 1966. No entanto, apenas em 2 de abril de 1965 é que passou a integrar o dispositivo da Força Aérea, sendo esta considerada a data de referência para a efeméride do “Dia da Unidade”.

Contemporâneo do contexto internacional que tem como ex-libris a Crise dos Mísseis de Cuba (outubro de 1962), o AM1 teve como propósitos originais servir de plataforma aeronáutica para aeronaves de Patrulhamento Marítimo e de apoiar e projetar, com tropas e recursos, as forças da Aliança estacionadas na Europa que, em caso de conflito, iriam combater as forças do “Pacto de Varsóvia”.

Em 25 de novembro de 1975, na sequência de um período extremamente conturbado da vida política e militar nacional, convergiram para o AM1 e dali operaram os meios aéreos que contribuíram para a normalização e consolidação da democracia, iniciada no 25 de abril de 1974. Este acontecimento foi aqui comemorado, em 1980, com a presença do Presidente da República General Ramalho Eanes.

Após a implosão do Pacto de Varsóvia, em 1991, no espectro das missões atribuídas à Força Aérea, o AM1 tem-se revelado essencial para a afirmação da soberania nacional no Espaço Estratégico de Interesse Nacional Permanente ao conferir às aeronaves da Cruz de Cristo mais flexibilidade e maior alcance quando em missões de Busca e Salvamento; fiscalização da Zona Económica Exclusiva; Vigilância Marítima; controlo da poluição; Defesa Aérea; controlo e acompanhamento de forças militares estrangeiras.

No cumprimento da missão atribuída, o AM1 tem apoiado inúmeros aprontamentos militares, nacionais e aliados, de que são exemplo os exercícios da Força Aérea, mas também do Estado-Maior-General das Forças Armadas e da Proteção Civil, e ainda eventos de elevada visibilidade realizados no Norte de Portugal como as Comemorações do Dia de Portugal e das Comunidades Portuguesas e as Comemorações do Dia da Força Aérea.

Na vertente aliada, o AM1 recebeu vários destacamentos de aeronaves quer de países aliados quer da NATO de que se destacam os emblemáticos Boeing E-3A AWACS.

Na vertente nacional, tem vindo a ser palco de destacamentos aéreos das Esquadras 501, 502, 552, 601 e 751 para efetuarem missões sejam operacionais ou de qualificação de tripulações. Igualmente, as Esquadras 201 e 301 efetuam missões de treino operacional e, se necessário, asseguram o alerta de Defesa Aérea.

Na vertente do apoio às missões de interesse público, o AM1 acolhe o destacamento permanente da Esquadra 552 da Base Aérea N.º 11, atualmente equipada com o AW119MKII "KOALA", outrora com com Allouete III, para Busca e Salvamento na zona Norte do país.

Paralelamente, tem servido, sempre que necessário, de principal a meios aéreos dedicados a operações de combate a incêndios florestais. Da mesma forma, tem apoiado e/ou projetado missões de Busca e Salvamento que exigem aeronaves de grandes dimensões, bem como o transporte de equipas médicas de recolha de órgãos para transplantes urgentes na zona Norte e Centro do país.

Também a Academia da Força Aérea elegeu o Aeródromo de Manobra N.º 1 como unidade para efetuar a largada de futuros Pilotos-Aviadores e para a realização dos exercícios de Comando e Liderança e Exercícios Finais.

O AM1 é, também, a casa da Área Cinotécnica da Força Aérea. Desde que foi criado, em 22 de janeiro de 1986, este centro foi responsável pela formação de mais de 1500 militares, entre treinadores, monitores e instrutores, bem como de igual número de cães para guarda, detecção de explosivos e de estupefacientes.

O AM1 acolhe ainda, desde 2005, um dos Pólos do Museu do Ar, aberto ao público todo o ano, com um espólio composto por diversas aeronaves, veículos e um vasto conjunto de outros equipamentos e materiais relacionados com as mais diversas áreas de operação da Força Aérea Portuguesa.

A comemorar 64 anos de existência, desde a sua criação como Base Aérea da NATO e 56 anos como Unidade da Força Aérea, o AM1 tem-se constituído não só como uma importante unidade que serve a zona Norte do país mas também como base para o treino operacional de militares nacionais e estrangeiros, ou não fosse o seu lema “SOU  DA  FORTE  EUROPA  BELICOSA”.